Esse final de semana eu fiz um retiro chamado “Despertar da Unidade”, com o maravilhoso Ricardo Cury que realmente explorou o melhor e o pior de nós da forma mais amorosa…

É impressionante como quando eu acho que venci algumas coisas, elas voltam mais escancaradas ainda. Eu venho percebendo que essa caminhada do autoconhecimento é literalmente um caminho sem volta e que aparentemente nada muda, tudo continua como é. O que muda é a FORMA como nós enxergamos cada nova realidade. E sim, reconheço que é muito importante a gente estar sempre perto de pessoas que estão na mesma faixa. Sério, porque se junto já dá pra quase pirar, imagina sozinho? E a gente não precisa fazer isso sozinho, porque já temos muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito o que fazer sozinhos, muito o que acessar sozinhos. Ter um grupo, uma comunidade, pessoas que estão na mesma situação, faz toda a diferença pois ajuda a curar. Afinal unidade não é a gente se perceber em si mesmo e nos outros? Não é essa a grande descoberta? Somos um e somos o todo. Então tem uma partícula minha aí dentro de você e uma sua dentro de mim e de todos nós. Minha cura é a sua cura. Por isso a importância de estarmos juntos.

Eu sinto que passei por algumas rotas nessa minha caminhada, e gostaria de compartilhar com vocês:

  1. Tive que sair do PILOTO AUTOMÁTICO. Sério, os nossos condicionamentos nos deixam sem pensar. A gente segue um rebanho, e nem precisa de esforço. Apenas seguir o que alguém um dia ditou e todo mundo assimilou como verdade sem nem saber pra onde vai e no que vai dar. Mentira! Eu tive que me incomodar comigo mesma, desacelerar de algo que nem sabia o que era essa agonia toda e desencanar da rotina padrão física do dia a dia e mental. Desde mudar pequenos hábitos como escovar os dentes com a outra mão até deixar de fazer outras coisas, como me sentir obrigada a ir na casa dos meus pais todo domingo, só porque já estava no piloto automático padrão e porque eles esperavam isso de mim.
  2. Comecei então a me conectar com a minha ESSÊNCIA. Ela já existe dentro de mim, mas como eu vou me acessar se eu nunca me permiti? Dar esse espaço pra acessar o que já é meu, fez toda diferença. Eu gosto disso ou só faço por que é padrão? O que eu quero fazer de verdade agora? O que eu estou sentindo na real? Tudo começou a vir a tona.
  3. Tive que me render aos PADRÕES E CRENÇAS LIMITANTES que eu me coloquei lááááá atrás na infância. Todos nós por medo, por uma necessidade querermos nos sentir unido, quando a gente sentiu medo, a gente criou crenças. De que não somos capazes de fazer isso ou aquilo, de que não merecemos ser o que somos porque não está dentro do padrão, de que você não pode falar isso ou aquilo porque os outros vão pensar coisas errada sore você… toda essa bosta mental que só serve pra atrapalhar, mas que enquanto a gente não se limpa disso, não flui. Não flui. E é importante ter esse tempo, permitir esse acesso dentro da nossa essência pra gente ir lá no fundo, resgatar essas crenças que todos nós temos (sem exceção) e resignificar. Já mencionei aqui uma crença fortíssima que eu tinha e venho trabalhando de que eu não merecia ganhar dinheiro fazendo o que gosto, porque lá atrás eu fui orientada a primeiro trabalhar e fazer dinheiro, depois fazer o que gosta. Ou seja, minha mente separou essas duas funções, e ela não entende e permite que isso seja possível junto. Por isso a desconstrução dessas crenças é o que liberta para o novo.
  4. Mas claro, tem muito MEDO instalado aí. Porque a gente foi condicionado a nunca olhar para nossas SOMBRAS. E meu caro, convenhamos. Todos nós somos feitos de sombras e luz. Não adianta não querer olhar pra isso. Mas fomos condicionados também. “Homem não chora”. “Não fica assim”… e tudo pra não deixar o sentimento fluir no nosso corpo. E ele precisa ser dissolvido. Precisa ser sentido e sair. É como se estivéssemos em um ralo entupido cheio de cabelo. Ele precisa ser tirado pra água fluir. Mas precisa ser sentido. Ele vai passar por você e depois vai embora. É essa confiança que eu aprendi a ter. O medo da nossa sombra é só mais uma armadilha da mente pra não nos acessarmos. Eu percebi o quanto eu sou egoísta, ciumenta, arrogante e não desejo o bem algumas vezes para algumas pessoas que eu gosto. E tudo bem. Por que você precisa ser só bom? Segura sua onda que você é imperfeito, e aceitar isso é libertador, porque eu posso ver minhas sombras hoje e aceita-las, conversar com elas e deixar elas aparecerem com consciência e continuar meu caminho. Com elas. Essa é a chave. Saber que eu vou conviver com elas sempre, me libertou. É tipo o cão raivoso que se acostumou com você e não te morde mais. Mas tem horas que ele pode ficar cachorro-loco e você agora está alerta e se previne nessas horas, rs.
  5. E isso traz uma LIBERTAÇÃO EMOCIONAL incrível. Dentre outras coisas. Eu percebo o quanto é importante a gente de-sa-pe-gar das emoções. Isso é complexo mas é a libertação. Nós nos tornarmos observadores das emoções e não somos a emoção. Principalmente na relação com o outro. Os apegos que a gente tem com o que o outro vai pensar, vai falar, vai agir sobre nós, não é nosso. É dele. O que meu pai, minha mãe, namorado, amigos, chefe pensa sobre mim, é dele, não é meu. Eu não preciso ficar acoplada a isso. E isso é a libertação. Porque tem muita coisa que a gente carrega dos outros. Já não chega o que é nosso, pra que carregar a carga emocional dos outros? Desapega….
  6. E aí quando você se esvazia um pouco do outro, começam a vir mais sinais, mais intuições, e passamos a ter mais CLAREZA de quem nós somos, do que queremos. Esse ponto de clareza é muito libertador, pois é a partir daí que dá pra gente mexer e movimentar todo o resto.
  7. Sabemos que 99% de tudo é ENERGIA e a gente só foca no 1% que não é. Somos pequenos aprendizes sobre a movimentação energética que nós mesmo produzimos. A gente não tem muita consciência hoje, mas desde que estou estudando tantra na essência, comecei a perceber o quanto o fluxo de energia é o fio condutor. É o fluido universal. Gente, nós produzimos luz própria. A movimentação da nossa energia é o que vai fazer a diferença, porque ninguém pode produzir pra mim a minha própria energia. É como um carro. Rola uma chupeta as vezes porque dá um tiuti e precisamos de uma ajuda externa, mas quanto mais praticamos e estamos conscientes da nossa energia, mais independentes ficamos. Isso eu estou vivenciando na praticaaaaaaa. E olha que nem é novidade isso, no oriente já vários líderes espirituais falam isso há milênios e agora no ocidente está chegando. Não tem saída pessoal. A gente vai sustentar a energia do planeta por nós mesmos.
  8. E não tem como depois disso você não sentir e desenvolver um sentimento de GRATIDÃO por esse grande todo. E isso é a percepção da PRESENÇA, que só é isso que importa. Pre-sen-ça!!!! Viver o tão clichê do agora. Isso é forte mas é só o que importa mesmo. Porque a energia que falei acima é só sobre o agora. Energia gasta no passado já é passado, não se recupera. Energia do futuro tá lá no futuro, você não consegue pegar agora. Então o AGORA é o que nos conecta com nossa essência. Eu venho desenvolvendo o sentimento de gratidão dia após dia, e percebi que ele começou a aumentar dentro de mim quando eu comecei a me sentir merecedora e a permitir entrar essa graça, esse divino, essa supremacia que sai do nosso controle, que eu permiti entrar dentro de mim. Reconhecer que há algo além da minha compreensão e que o presente de viver plenamente o agora me conecta com essa incompreensão, tá dando um barato legal, rs. Mas esse sentimento de agradecimento é o mais libertador e me conecta com o amor.
  9. E aí vem a conexão com o seu PROPÓSITO. Que na verdade ele já está dentro de nós, a gente só precisa descobrir. Eu tenho uma relação com propósito ainda profunda. Sinto que o ego gosta bastante de se aparecer por aqui, porque ele se sente firme e forte, mas na verdade ainda há muito o que cavucar. É nessas horas que a ajuda externa é boa. O compartilhar. A troca. Eu percebo cada vez mais que minha missão na Terra é despertar o meu coração amoroso, e o propósito são os caminhos que eu vou trilhar para alcançar isso. E estou descobrindo novas estradinhas dia após dia.
  10. E aí, claro, surge também aquele nosso ESPÍRITO EMPREENDEDOR pra poder colocar em prática essa missão. Desenvolver nosso empreendedorismo pessoal é um dos passos mais profundos do autoconhecimento. Ele serve pra sair do mental, pra sair das ideias e ser colocado em praticaaaaaaaa. E tudo só funciona quando colocado em prática, porque se fica só na mente, nos planos, é cocô energético e não serve pra nada.
  11. E quando a gente consegue sair do plano e colocar em prática mesmo, e depois de liberar as cargas emocionais limitantes, a gente começa a se colocar numa frequência de merecimento e gratidão que nos eleva, entrando em estado de ABUNDÂNCIA. Viram que até agora não falamos de dinheiro né? Ele entra como ferramenta, se usada e reconhecida como abundância de ser, como facilitador. Abundância como estado de ser. Essa é a chave.
  12. E aí depois disso você se torna CO-CRIADOR da realidade que você construiu. E é disso que falamos o tempo todo. Tudo é um processo de desconstrução e construção. É um ciclo constante e eterno. Nossa participação aqui na Terra como partículas, no meu entendimento, é justamente arrumar essa bagaça interna pra melhorar a bagaça externa e aí sim tornar um mundo melhor, com frequências de pessoas desbloqueadas, abundantes e felizes. Todos nascemos para ser feliz!

E eu falei tudo isso, todos esses passos, para dizer que tem gente que já fez isso, que ajuda outras pessoas a fazerem isso também. O tal do propósito. Minha amiga Alana Trauczynski é uma que assim como eu mencionei acima, criou um programa para unir pessoas que estão a fim de recalcularem suas rotas de vida, passando por essas 12 etapas que eu mencionei. E ela que desenvolveu essas rotas e vai explorar mais detalhadamente cada uma.

O programa é bom, porque como eu mencionei acima, UNE AS PESSOAS NA MESMA SINTONIA. E a matemática ensina. 1 sozinho é 1. 1+1=2, que já não é solitário e de dois podem somar, multiplicar e não tem fim. Então esse grupo de pessoas com interesses em comum em recalcularem suas rotas de vida é o que faz a diferença. Eu posso ter feito mil terapias, mil processos, mas todos os meus grandes alcances foram na troca, nos compartilhamentos e nas oportunidades de estar com pessoas na mesma vibe. Afinal, a gente parece um ET quando quer fazer diferente, né?

Então importa MUITO ter um grupo unido. E a proposta da Alana é essa. Aquecer esse grupo, com as ferramentas das 12 rotas que eu mencionei acima e daí sim, a famosa frase: “a união faz a força”, faz mesmo e ajuda no processo individual de cada um de criar luz própria e aí aumentar para esse grande todo que é o universo e gerar a abundância de vida.
Cria-se uma nova família. E é disso que todos nós precisamos. Nos sentir acolhidos, amados e aceitos. É tudo que queremos. A gente se estrepa todo na vida, correndo atrás apenas disso que a gente perdeu e não sente mais. Ou melhor, não sentia: tá aqui o retorno dos sentimentos de acolhimento, amorzinho, aceitação como você é, sem mudar nada!!!!!

O Programa Recalculando a Rota abriu hoje as inscrições, e você pode ter mais informações com esse link >>> AQUI.<<<<.  Eu estou divulgando esse programa como afiliada da Alana, e todas as pessoas que comprarem o programa com o meu link, eu receberei uma comissão. Eu vendo apenas o que eu acredito e sinto, e é total minha vibe e minha verdade tudo o que eu falo sobre a Alana e sobre o que ela faz.

E para todas as pessoas que comprarem com este meu link, eu vou disponibilizar gratuitamente como bônus todas as palestras do Criando Nossa Realidade, que muitos de vocês acompanharam e não puderam assistir de novo. São pessoas na mesma vibe que a nossa (inclusive tem a minha entrevista com a própria Alana), e muita gente que ressoa toda essa verdade que estamos falando e inspira demais. Pra cada rota eu vou te recomendar uma palestra pra você assistir e te ajudar a complementar a fixar o aprendizado com exemplos práticos de pessoas que já o fazem.

Se liga então nesse link, clica aqui, e se você tiver mais dúvidas me procura. Eu acho que você pode se permitir esse presente de natal pra você mesmo. É o começo da sua 1ª rota, que é sair do piloto automático e se permitir dar esse primeiro passo. Topa? Esse programa começa agora em janeiro e não haverá outra turma. Então não espera. FAZ. Sai da ideia e da vontade e coloca em prática. O mundo precisa de ação e amor. Tudo que temos aqui no PRR!
Estou junto com você!

CLICA AQUI PRA SABER MAIS DETALHES DO PROGRAMA E SE INSCREVER

Gabriela Jordão Moya
11 99902 9067*
(me manda um whats dando um oi para te enviar outros conteúdos, meditações e troca de experiências)

gabriela@criandonossarealidade.com.br